Nosso culto de adoração

Nosso culto de adoração a Deus.
 

A Igreja é uma família, “uma família de famílias” como dizia Calvino. A Bíblia se refere à Igreja de diversas maneiras, contudo a mais encontrada forma de Deus definir o seu povo é como “povo do pacto”. Pacto é um dos temas mais encontrados nas páginas das Escrituras. Refere-se especialmente à maneira como Deus entra em relacionamento com o seu povo pecador. Ele o faz oferecendo uma promessa de amor, de tal maneira  a nos reconciliar com ele no pacto da salvação. A promessa de Deus é que ele sempre será o nosso Deus e nós seremos seu povo como possessão eterna, jamais deixando o seu povo ou dele se esquecendo, provendo a nossa salvação no pacto do seu amor, ao ter enviado seu Filho, Jesus Cristo, para ser o cabeça do pacto e tomar sobre si representativamente os nossos pecados e expiá-los na cruz do Calvário, ali derramando o seu sangue como preço para o pagamento perante Deus, aplacando a sua santa ira contra o pecado, purificando-nos neste sangue os nossos pecados.

 

Como família somos confessantes e como igreja confessante confessamos e representamos nossos filhos que são ingressados na Igreja pelo sacramento do batismo que é o rito de iniciação do povo de Deus. Se no Antigo Testamento os pais juntamente com seus filhos eram chamados à presença de Deus, muito mais agora na dispensação do Novo Testamento nossos filhos haverão de participar desta mesma graça de serem parte da família da fé.

 

A Igreja de Deus é um ajuntamento pactual e por isto, simplesmente somos a família de Deus. Como família santa, separados para a glória de Deus, somos convocados a amar e servir uns aos outros, tal como Cristo nos amou e deu a sua vida em serviço e resgate dos seus eleitos, sua família. Somos uma família de pecadores, não obstante salvos pela graça de Deus, tendo no nosso coração o chamado e o desejo de amar a Deus sobre todas as coisas e nossos irmãos, os da família da fé, para a glória daquele que nos chamou.